Notícias do vestibular

FÃS DA APPLE CONFIAM NO SUCESSO DA EMPRESA SEM A LIDERANÇA DE JOBS
Steve Jobs anunciou que deixará comando da empresa. Tim Cook, ex-vice-presidente operacional, assumiu cargo.
Os fãs da Apple vão sentir falta do ícone Steve Jobs, que anunciou a sua saída da presidência da companhia. Mas eles acreditam que a empresa continuará trilhando um caminho de sucesso.

"Jobs formou uma equipe muito boa. Quando ele voltou a Apple [em 1997], ele trouxe um time muito pesado. Foram esses caras que fizeram toda a transformação na empresa, e grande parte deles ainda está lá", diz Eduardo Pellanda, professor da PUCRS, usuário da Apple desde 1979. "Meu pai foi o primeiro brasileiro a trazer um computador da Apple para o Brasil. O número de série era 000996", conta.

A notícia sobre a renúncia de Jobs deixou Jorge Andrade, de 18 anos, um pouco incerto sobre o futuro da empresa. Mas ele acredita que Jobs não vai desaparecer. “Ele continuará aparecendo, indo nas apresentações e tomando algumas decisões. Vamos sentir sua falta. Jobs é um ícone. Mas ele não fez tudo sozinho dentro da Apple”, diz o estudante que é usuário dos produtos da empresa desde os 9 anos. “Cheguei a ter um PC, mas não me acostumei”, conta.

Pellanda também acredita que Jobs continuará exercendo alguma força dentro da companhia. “O DNA dele, de fazer produtos com detalhes minimalistas, e essa filosofia de tentar antecipar o que os consumidores querem, está muito projetado dentro da Apple. A equipe vai continuar com essa filosofia. Acredito que nada vai mudar drasticamente”, opina.

Luiz Nonato, de 18 anos, fundador do blog MacManíacos, acredita que Jobs não deixaria a empresa nas mãos de quem não confia e se preparou antes de tomar a decisão. “Quando li a notícia me assustei um pouco. Mas acho que ele pensou muito antes para não fazer nenhuma besteira. Confio no trabalho de Tim Cook. Steve não ia deixar a empresa nas mãos qualquer um”, disse.

Para Pellanda, Cook é um executivo mais focado nos negócios, diferente de Jobs, que tinha uma visão de produto. Mas para essa função existem outros executivos. “Cook foi o cara que ajudou na expansão da Apple globalmente, que acabou com as fábricas nos Estados Unidos para produzir os produtos na China”, explica Pellanda, que acompanhou a Apple desde o começo. “Vi a empresa na primeira fase com Jobs, na segunda fase sem ele, e na última”, conta. “Sou fã muito antes de a Apple virar moda”, brinca. Agora, a Apple se prepara para sua segunda fase sem Jobs.



Fonte: G1/Tecnologia e Games