Notícias do vestibular

VÍRGULA, A VILÃ DAS REDAÇÕES, PODE MUDAR O SENTIDO DE UMA FRASE
Orientação do professor é deixar a intuição de lado e aprender as regras.
 A vírgula é um dos itens que os estudantes mais temem e que pode mudar completamente o sentido de uma frase. Por isso, quem vai prestar vestibular ou fazer o Enem deve estar atento aos detalhes do texto. A orientação do professor de Língua Portuguesa, Nestor Acioly, é deixar a intuição de lado e aprender as regras.

Para começar, é importante lembrar que nunca se separa, com vírgula, o sujeito e o verbo. Nos períodos simples, a vírgula deve ser usada para isolar adjuntos adverbiais deslocados. Veja um exemplo abaixo:

- Muitas pessoas, durante o feriado, viajam.

O aposto explicativo também deve vir entre vírgulas, assim como o vocativo. “A vírgula indica uma pausa. Mas nem toda pausa será indicada por uma vírgula. Há a entonação”, explica o professor. Exemplos:

- Recife, a Veneza brasileira, possui lindas pontes. (aposto explicativo)
- Maria, vem cá. (vocativo)


Outro caso em que a vírgula é empregada é em enumerações de termos que exercem a mesma função sintática. Exemplos:

- Henrique, Lucas, Thiago e Cláudio irão ao jogo de futebol.
- Pais, professores, responsáveis e estudantes devem comparecer à reunião.


Devem estar sempre entre vírgulas as conjunções coordenativas intercaladas, como: porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia, logo, portanto, por conseguinte, então.

Fonte: G1/ Projeto Educação