Profissões

BIBLIOTECONOMIA
Planejar centros de documentação definindo produtos e serviços para atender o usuário.
São a classificação, organização, conservação e divulgação do acervo de bibliotecas e centros de documentação. O bibliotecário trabalha como um administrador de dados, que também processa e dissemina a informação. Além de catalogar e guardar as informações, ele orienta sua busca e seleção. Cabe-lhe analisar, sintetizar e organizar livros, revistas, documentos, fotos, filmes e vídeos. É de sua responsabilidade planejar, implementar e gerenciar sistemas de informação, além de preservar os suportes (mídias) para que resistam ao tempo e ao uso. Trabalha em bibliotecas públicas, escolares ou particulares, centros de documentação, arquivos, museus, centros culturais e de memória, hemerotecas, editoras, empresas de comunicação, provedores de internet, ONGs, clubes e associações. A atuação do profissional de biblioteconomia tem se voltado cada vez mais para a criação e a manutenção de arquivos digitais e para a montagem de bancos de dados em computadores, empregando para isso os sistemas de informática e a internet.

Dúvida do Vestibulando

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE BIBLIOTECONOMIA E GESTÃO DA INFORMAÇÃO?

Organização é a palavra de ordem para os profissionais formados nesses dois cursos. Esses profissionais trabalham juntos, exercendo atividades que não entram em choque; na verdade, elas são complementares. O bacharel em Gestão da Informação tem a tarefa de coletar, processar, armazenar e distribuir informações de empresas, órgãos públicos e mesmo bibliotecas, com o objetivo de adequar a linguagem utilizada pelos profissionais de determinada área ao sistema de organização dos dados. Já quem se forma em Biblioteconomia tem outro foco de atuação. Esse bacharel é responsável por organizar e conservar acervos de bibliotecas e centros de documentação utilizando as ferramentas arquitetadas e desenvolvidas pelo gestor da informação.
O mercado de trabalho

A expansão de instituições de Ensino Superior e de escolas técnicas aumenta as vagas para os bibliotecários, já que esses estabelecimentos precisam organizar seus bancos de dados e acervos. "Grande parte dos recém-formados consegue emprego com facilidade logo nos primeiros seis meses", diz Daniela Pereira dos Reis de Almeida, vice-coordenadora do Conselho do Curso de Biblioteconomia da Unesp de Marília. A necessidade das empresas de obter e utilizar a informação como ferramenta para aumentar a competitividade possibilita ao bibliotecário trabalhar nas áreas ligadas à tecnologia e à internet. Estas são o novo atrativo para o bacharel, que atua na organização de conteúdo em espaços virtuais, como intranet, na gestão de serviços de informação e na avaliação de conteúdos em bibliotecas digitais. Nesse campo, há oportunidades em empresas, centros de documentação públicos e privados, museus, editoras e livrarias. Hospitais, escritórios de advocacia e ONGs também são fontes de oportunidades. Os órgãos públicos abrem concursos regulares para contratar o profissional. As bibliotecas do Poder Judiciário são as que mais têm buscado esse bacharel. "Outros exemplos de empregadores são a Petrobras e a Marinha", completa a coordenadora Daniela Almeida. Ele também encontra trabalho em centros culturais, salas de leitura e de lazer, galerias de arte, brinquedotecas, cinematecas, pinacotecas e videotecas. São Paulo é o estado que mais emprega, mas há boas ofertas no Rio de Janeiro e em Brasília, nas áreas de gestão de serviços e análise de informação. Também há crescimento do mercado de trabalho nas regiões Nordeste e Centro-Oeste.

Salário inicial: R$ 1.657,00 (fonte: Sindicato dos Bibliotecários do Estado do Paraná).

O curso

Entre as disciplinas básicas encontram-se língua portuguesa, inglês, história e literatura. Entre as específicas estão incluídas história do registro da informação, história social do conhecimento, das bibliotecas, da biblioteconomia e da ciência da informação, formação de leitores, geração e organização de instrumentos de recuperação, indexação, serviços de provisão e de acesso e arquitetura da informação. O curso oferece, ainda, aulas de introdução à economia e à contabilidade, marketing e administração de unidades de informação. Com essas matérias, o aluno se prepara para montar sistemas de organização e de acesso aos dados. O estágio é obrigatório e exige-se, ainda, uma monografia de conclusão de curso.

Duração média: quatro anos.

Outros nomes: Biblioteconomia e Documentação; Biblioteconomia e Gestão de Unid. de Inf.

O que você pode fazer

Análise da informação
Avaliar, selecionar, classificar e indexar livros, documentos, fotos, partituras musicais, fitas de vídeo e de áudio e arquivos digitais.

Gestão de serviços de informação

Planejar, organizar e administrar unidades, redes, bibliotecas, museus, sistemas e serviços de documentação e informação localizados em centros de pesquisa, centros de documentação, arquivos pessoais e de jornais, entre outros, e centros culturais.

Consultoria e coordenação

Coordenar a formação do acervo, o arquivamento dos documentos e sua conservação em empresas, banco de dados e instituições públicas.

Gestão do conhecimento
Desenvolver e gerenciar mecanismos para sistematizar o conhecimento acumulado dentro de uma organização, seja ela uma empresa, uma ONG, uma insituição educacional ou uma associação, estimulando, assim, sua divulgação.

Normatização

Montar e manter bases de dados, com o emprego de normas internacionais, como o ISO (International Organization for Standardization).

Fonte: Guia do Estudante