Profissões

AQUICULTURA
Esse tecnólogo acompanha toda a cadeia produtiva de produção de peixes e de outros animais aquáticos em cativeiro.
Cuida do manejo, da reprodução e da nutrição de peixes ornamentais, jacarés, rãs e camarões. Aplica conhecimentos de tecnologia pesqueira para gerenciar e explorar o potencial das unidades de criação em tanques, açudes e lagoas. Envolve-se em todas as tarefas do negócio de aquicultura ou piscicultura, até a industrialização, comercialização e distribuição dos produtos para o mercado consumidor, ao mesmo tempo em que procura minimizar os impactos da atividade sobre o meio ambiente.
O mercado de trabalho

Esse tecnólogo pode atuar em conjunto com o engenheiro de pesca, de aquicultura e com biólogos. São empregadoras tradicionais as propriedades rurais voltadas para a aquicultura, indústrias pesqueiras, empresas de processamento de pescado e cooperativas de pescadores. "Com a pesca industrial estagnada, a aquicultura voltou a ser uma atividade bem rentável e com boas chances de colocação para esse tecnólogo", afirma o professor Fábio Meurer, coordenador do curso da UFPR. O profissional é solicitado para atuar na execução e na avaliação dos sistemas de produção e também para dar assessoria técnica na cadeia produtiva. Ele pode ainda trabalhar em projetos avaliando riscos ambientais. Um mercado que tem oferecido vagas é o de produção artificial de peixes e mariscos em águas marinhas. As usinas hidrelétricas, que mantêm laboratórios de aquicultura, também são um nicho para o profissional. No Centro-Oeste, cresceu muito o número de vagas para trabalhos em açudes e para a produção de ração para peixes, já que a região é rica na plantação de grãos. O profissional com perfil empreendedor é bastante requisitado para gerenciar negócios em aquicultura para empresários e fazendeiros que querem investir no setor. O professor chama atenção para o mercado de peixes ornamentais, que tem grande potencial. As melhores chances de trabalho estão nas regiões Sul, Centro-Oeste e Nordeste.

Salário inicial: R$ 2.550,00 (6 horas diárias; fonte: Confea/Crea).

O curso
O currículo traz inicialmente disciplinas básicas, como física, biologia, química e matemática. Essas matérias preparam o aluno para lidar com as matérias de formação específica, que se iniciam a partir do segundo ano. A parte técnica do curso apresenta aulas de aquicultura e piscicultura, tecnologia e biologia pesqueira e fisiologia e nutrição dos organismos aquáticos, entre outras. No último ano do curso de graduação, o estudante tem aulas de produção e comercialização de pescados. Ao final, é preciso fazer estágio numa agroindústria ou unidade de produção e apresentar um trabalho de conclusão do curso.

Duração média: três anos e meio.

Fonte: Guia do Estudante