Profissões

ENGENHARIA CIVIL
Gostar de matemática e física é essencial na engenharia civil
Quem tem pesadelos com números e não gosta nem de pensar nas fórmulas de física definitivamente não vai conseguir fazer um curso de engenharia civil. Aqueles que pensam em se sacrificar e agüentar as disciplinas somente durante os cinco anos da graduação também terão que repensar a escolha. Matemática e física estão presentes no dia-a-dia de trabalho do engenheiro civil e não podem ser deixadas para trás após o estudante ter o diploma na mão.


“Tem que gostar de física e matemática porque na engenharia, a pessoa tem que saber aplicar o conhecimento científico para resolver problemas para a sociedade”, atesta o professor Carlos Eduardo Javaroni, coordenador do curso da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Bauru (interior de São Paulo).

“Cabe ao profissional escolher o material que vai ser usado e dimensionar a quantidade e a forma que ele vai ser aplicado no esqueleto do edifício”, explica o coordenador do curso da Universidade de Brasília (UnB), André Luiz Aquere. “É ele que vai idealizar a forma física da estrutura para poder dar forma ao que o arquiteto imagina”, define Aquere.

Com duração de cinco anos, a graduação, na maioria das faculdades, exige estágio obrigatório, e trabalho de conclusão de curso que deve ser apresentado a uma banca de docentes.

Os dois primeiros anos são de matérias mais básicas como matemática, física, química, estatística, administração, direito, entre outras. Em algumas faculdades, o aluno vê também disciplinas profissionais nos primeiros períodos como topografia e produção em engenharia civil.

Na Federal do Espírito Santo (Ufes), são feitas palestras com empresas e profissionais que já atuam no mercado de trabalho como forma de aproximar mais o aluno da prática. “Procuramos trazer para eles a vivência da profissão”, afirma a coordenadora do curso, Flávia Ruschi.

Das 262 disciplinas do curso da Unb, 38 são optativas e o aluno pode escolher cursar algumas do ciclo profissional mesmo estando ainda nos primeiros perídos da graduação. "É uma forma de motivar o estudante, [colocando-o] em contato com a profissão que ele escolheu", explica Aquere.

Construção Civil
Projetar, construir e reformar edifícios residenciais, comerciais e industriais.

Estrutura
Definir a estrutura e escolher o material (madeira, concreto ou aço) com que ela será construída. Calcular as dimensões das peças e supervisionar sua instalação.

Fundações e obras de terraplanagem
Construir alicerces de obras que envolvam movimentação de terra (aterros, barragens e contenção de encostas). Analisar permeabilidade e resistência do solo e do subsolo. Definir técnicas e materiais adequados à obra.

Hidráulica
Projetar e construir barragens, canais e eclusas. Fazer instalações hidráulicas para a produção de energia elétrica, estações de bombeamento de água e sistemas de irrigação e drenagem.

Saneamento
Planejar e construir redes de captação e distribuição de água e estações de bombeamento de água e de esgotos.

Transportes
Cuidar de obras de grande porte, como ferrovias, rodovias, hidrovias, pontes, viadutos, portos e aeroportos.

NA UERJ:

ENGENHARIA CIVIL - RIO

Unidade Acadêmica: FACULDADE DE ENGENHARIA - FEN
Localização: Rua São Francisco Xavier, 524 - Pavilhão João Lyra Filho - 5º andar - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
Titulação: Engenheiro Civil
Turno: Manhã e Tarde ou Tarde e Noite
Duração Mínima: 10 períodos
Duração Máxima: 18 períodos
Vagas Oferecidas: 120
Relação Candidato/Vaga:



* Vagas reservadas para candidatos comprovadamente carentes que se enquadrem em uma das categorias definidas pelas Leis Estaduais 4151/2003 e 5074/2007.
** Pessoas com deficiência ou pessoas nascidas no Brasil pertencentes a povos indígenas, ou filhos de policiais civis e militares, bombeiros militares e inspetores de segurança e administração penitenciária, mortos ou incapacitados em razão do serviço.



Pode haver dados em branco quando o índice não estiver disponível ou não existir para o ano informado.


Fonte: Globo.com / UERJ