Profissões

ENGENHARIA NAVAL
Planejar as linhas de amarração e o conjunto de tubulações para transportar o produto até o continente.
Engenharia Naval
Bacharelado

Será que Engenharia Naval é uma boa opção?


É a área da engenharia que cuida do projeto, da construção e da manutenção de embarcações e seus equipamentos. O engenheiro naval projeta a estrutura, os motores e os demais componentes de navios. Para isso, considera o uso a ser dado à embarcação, a quantidade de carga ou de passageiros a ser transportada, a distância a ser percorrida e o local de operação, se em rios, lagos, mares ou oceanos. Na construção, supervisiona os técnicos e os operários, verifica a qualidade da matéria-prima e os métodos de trabalho e acompanha toda a fabricação. Pode também gerenciar o transporte marítimo e fluvial, controlando o tráfego de embarcações e os serviços de comunicação. Outras áreas de atuação para esse profissional são lazer e esportes náuticos, a criação de animais marinhos e a exploração de recursos minerais do oceano, sobretudo o petróleo.

O mercado de trabalho

Apesar da extensão de seu litoral e da quantidade de rios, o Brasil não tem tradição em indústria naval. Mas o mercado está bem aquecido e tende a se manter assim nos próximos anos. "Um exemplo disso é a retomada da construção de navios para atender, em particular, às necessidades de renovação e ampliação da frota de navios da Transpetro, empresa encarregada do transporte de petróleo e de seus derivados. Além disso, a construção de plataformas para a exploração e produção de petróleo em águas profundas e de um conjunto de embarcações para dar suporte logístico a essas atividades movimenta o mercado para o bacharel", afirma Marco Brinati, coordenador do curso da USP. Esse profissional é requisitado para trabalhar no desenvolvimento de projetos e sua implantação, supervisão e operação de embarcações, desde barcos de passeio até grandes navios de carga, e também de plataformas de prospecção de petróleo e gás no oceano. O Rio de Janeiro destaca-se no setor de construção naval, mas outros estados, como Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, vêm ganhando novos estaleiros e demandando mão de obra especializada. No setor de produção de petróleo no oceano e transporte marítimo, os empregos estão no Rio de Janeiro (pela presença da Transpetro) e São Paulo (por possuir o principal porto do país).

Salário inicial: R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

O curso

Esse curso possui dois anos de formação básica com muita física, matemática, computação e química. Em seguida, começam as matérias específicas das engenharias (mecânica de fluidos, termodinâmica e ciência e resistência dos materiais) e da formação profissionalizante (hidrodinâmica, estruturas navais, projeto de navio e plataformas marítimas, construção naval e transporte aquaviário). Em aulas práticas de laboratório, o aluno constrói e testa modelos e maquetes estruturais, não só de embarcações tradicionais como também de submarinos e robôs subaquáticos. O estágio e o projeto de conclusão de curso são obrigatórios.

Duração média: cinco anos.

O que você pode fazer
:

Construção naval
Projetar e coordenar a construção de embarcações, como navios, barcos e lanchas. Gerenciar serviços de manutenção, reparos e conservação de cascos, motores e máquinas.

Gerenciamento de transporte
Planejar todas as etapas do comércio fluvial ou marítimo, desde o embarque e o transporte de carga até o desembarque e o armazenamento.

Pesquisa e desenvolvimento
Criar novas tecnologias e adaptá-las a submarinos, plataformas flutuantes e robôs para exploração submarina.

Projeto de sistemas oceânicos
Planejar e construir plataformas marítimas e tubulações para o transporte de petróleo.


Fonte: guiadoestudante.abril.com/profissoes