Profissões

ADMINISTRAÇÃO
Nas instituições financeiras, operar no mercado de capitais, analisando todas as variáveis econômicas e quantitativas que influenciam os sistemas financeiros.

Curso com maior número de alunos no país, tem um vasto campo de atuação; salário médio nacional é de R$ 4.025

Administração agroindustrial ou rural
Desenvolver projetos, controlar a produção e aplicar novos métodos administrativos, dando assistência direta ao empresário do campo. Esse trabalho é feito e, conjunto com agrônomos, engenheiros agrícolas, veterinários e zootecnistas.

Administração de cooperativas:
Supervisionar e fiscalizar a entrada de recursos, além de garantir a distribuição correta dos direitos entre os cooperados.

Administração de empresas
Planejar e dirigir uma empresa. Nessa função, é possível a especialização em controladoria, comércio exterior, marketing, orçamento e finanças, produção e recursos humanos.

Administração hospitalar
Gerenciar recursos humanos e financeiros, além dos serviços de limpeza, alimentação e compras em hospitais, clínicas ou laboratórios. Definir políticas administrativas e, em estabelecimentos particulares, cuidar do marketing da empresa.

Análise de sistemas
Estudar as características e necessidades de uma organização para definir e implantar os sistemas de computadores mais adequados.

Comércio exterior
Gerenciar as transações comerciais com países ou empresas estrangeiras. Planejar importações e exportações, analisar oportunidades no mercado internacional e estudar as normas mercantis, alfandegárias e fiscais de cada país. Providenciar o seguro e acompanhar o transporte e a chegada do produto ao seu destino.

Controladoria
Controlar as finanças, contabilidade, técnicas de organização e métodos administrativos. Fazer auditorias.

Marketing ou mercadologia
Acompanhar todas as atividades que levam um produto até o consumidor.

Orçamento e finanças
Planejar e coordenar a vida financeira da empresa, estudando o mercado de capitais. Definir os melhores investimentos e lidar com as receitas e despesas. Nas instituições financeiras, operar no mercado de capitais, analisando todas as variáveis econômicas e quantitativas que influenciam os sistemas financeiros.

Produção
Controlar a entrada e saída de suprimentos e os custos de produção.

Recursos humanos
Coordenar os processos de seleção, admissão, demissão e treinamento de pessoal, além da segurança no trabalho. Definir e implantar políticas de cargos, salários e benefícios. Participar das negociações salariais com sindicatos.

Uma área abrangente, a administração permite ao profissional atuar em diversos ramos do setor público, privado e não governamental. As principais áreas de atuação, segundo o Conselho Federal de Administração (CFA), são finanças, marketing, mercadologia, recursos humanos, orçamento, relações industriais, administração de material e de produção e organização e métodos e programas de trabalho.

Graduação
O curso tem carga horária mínima de 3 mil horas e, em geral, dura quatro anos. No último período, os alunos devem fazer um estágio curricular e apresentar um relatório dessa atividade para concluir a graduação. No começo da faculdade, os estudantes têm aulas de disciplinas básicas como economia, contabilidade, sociologia, matemática, estatística, entre outras. Depois, aprendem matérias do ciclo profissional como marketing, recursos humanos, finanças e gestão.

Segundo especialistas da área, para ser um bom profissional o aluno deve fazer atividades extra-classe como participar de empresas juniores, atividades de extensão e pesquisas. “Tem que aproveitar todas as oportunidades que a universidade oferece porque as empresas, na hora de contratar, não olham só as notas dos alunos, mas também todas as atividades que eles fizeram que podem contribuir para uma boa formação”, aponta o coordenador do curso da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG buscar), Aureliano Bressan.

Para a professora Marta Ferreira Santos Farah, coordenadora do curso de graduação da Fundação Getúlio Vargas (FGV) – a primeira faculdade de administração do país – outra característica essencial nos bons profissionais é aliar a formação técnica à humanística. “Tem que saber gerir gente, ter uma boa relação com fornecedores, clientes e estar sintonizado com os desafios sociais e ambientais do mundo moderno”, diz. Segundo ela, um dos desafios nas graduações atuais é formar pessoas para trabalhar em agências reguladoras, organizações não-governamentais e empresas do mercado globalizado.

Já o presidente do CFA, Rui Otavio Bernardes de Andrade, destaca a necessidade de manter uma formação continuada. Segundo ele, é importante que o profissional faça cursos de especialização e pós-graduação na área. “A pessoa deve buscar aprender mais sobre a área que trabalha porque ninguém quer um profissional desatualizado, que se formou há anos e não está se renovando”, afirmou.

Mercado no Brasil
Há 230 mil administradores de empresas cadastrados no CFA. Segundo a instituição, também estão no mercado de trabalho os bacharéis em administração, que são os estudantes formados que não se credenciaram no conselho. Não há dados precisos sobre esses profissionais.

Uma pesquisa nacional sobre o perfil do administrador feita pelo órgão neste ano mostra que os homens são a maioria na carreira e correspondem a 67% dos profissionais. Cerca de 67,8% possuem emprego com carteira assinada. O levantamento aplicou 9.178 questionários em todos os estados do país. Também foram entrevistados 447 empregadores brasileiros.
Fonte: G1 - Globo.com