Profissões

ZOOTECNIA
Melhoramento genético e nutrição estão entre as atividades da carreira. Formação exige boa base em exatas e biológicas.
Administração e economia rural

Organizar a produção animal de uma propriedade. Planejar as instalações, dividir os pastos, comprar e vender animais.

Indústria

Coordenar pesquisas e criar rações e vitaminas para animais. Gerenciar as vendas desses produtos.

Melhoramento genético e reprodução

Fazer a avaliação genética dos rebanhos, selecionar os animais para formar o "rebanho matriz" e definir os sistemas e técnicas de cruzamentos.

Nutrição animal

Determinar uma dieta adequada e balanceada para as criações. Examinar as condições de higiene da alimentação animal.

Saúde animal

Supervisionar a vacinação e a medicação dos animais.



Principais áreas da formação

Segundo o professor Dittrich, há dois troncos principais que norteiam a graduação: melhoramento genético e nutrição animal. “O melhoramento é para ter raças ou tipos que produzam mais e melhor com a menor quantidade de comida. Já a nutrição busca a melhor dieta”, diz.

Um exemplo bem claro do melhoramento genético no dia-a-dia é a carne de porco. “Hoje em dia, a carne de suíno é mais light. Há uns 20 anos, vinha uma manta de gordura. Com o manejo e com a genética se descobriu uma forma de o porco acumular mais músculo em vez de gordura”, explica Neli.

Curso


Para fornecer todo esse conhecimento, a graduação tem de ser abrangente. No país, de acordo com dados do Ministério da Educação (MEC), existem 88 cursos de zootecnia. Segundo norma do Conselho Nacional de Educação, a graduação precisa ter duração mínima de cinco anos – mas algumas instituições oferecem a possibilidade de formação em quatro anos e meio, com estudos em período integral.

Na grade curricular estão matérias como anatomia dos animais, biologia, física, bioquímica, matemática, bioestatística, nutrição animal e economia rural. Os primeiros semestres são carregados por disciplinas básicas e depois é que começam as cadeiras relacionadas à profissão. Para se formar também é necessário realizar um estágio supervisionado e confeccionar uma monografia de conclusão.

De acordo com a professora Neli, o curso é composto de 60% de aulas teóricas e 40% de aulas práticas. Na USP, por exemplo, o campus é uma fazenda em Pirassununga e o estudante tem contato direto com os animais.